PINDAÍBA: NOS TEMPOS DE JUDAS 30 MOEDAS VALIAM UMA BOA TRAIÇÃO, HOJE BASTA UMA FANTASIA DE PAPAI NOEL

Não se fazem mais Judas como antigamente, como diria Fernando Sabino.
Pois tomem o exemplo do ex-vereador João Antônio, que por trinta moedas de prata provavelmente “fazemos qualquer negócia”, ao estilo Samuel Blaustein. Vejam: João se elegeu vereador graças a benção do ex-prefeito Jardel Sebba. Aliás, na época era Deus no céu e Jardel na terra, para João. Depois de eleito o cidadão mostrou-se um parlamentar perdido, lento e confuso. Na comunicação da prefeitura praticamente afundou o nome do prefeito com campanhas furadas e sem sentido. Por mais que o prefeito trabalhasse, como trabalhou nos últimos dois anos, não adiantava, pois o secretário era um poço de vaidade, bajulador, e acima de tudo lento, lento no raciocínio.

João Antônio não foi um político fiel, traiu o partido e seu líder, Jardel, antes do galo cantar uma vez, passou para o lado dos adversários e como premio recebeu o gigantesco privilégio de ser o papai Noel do prefeito Adib Elias, no último natal. Como estava dizendo, não se faz mais papai Noel como antigamente…

O Pior é que só ele não vê que é ridículo. Será que João imagina o que dizem dele nos bastidores da prefeitura? Um funcionário da prefeitura contou a anedota rindo: “Tá vendo esse aí? Traiu o Jardel e agora o Adib faz o que quer dele, brinca e ri da cara dele, até roupa de papai Noel já colocou nele… dizem que no dia das crianças se vestirá de palhaço Bozo”.

Pois é, lamentável. O João Antônio até que parecia ter futuro na política. Mas é preciso ter competência para segurar o rojão.