MINISTÉRIO PÚBLICO: SE INSISTIR ADIB ELIAS TERÁ DE PAGAR R$ 10 MIL POR EXIGÊNCIA INDEVIDA

A foto acima é o retrato da saúde em Catalão. Precisa dizer mais alguma coisa?

Mas temos boas novas: acabou a lorota do secretário Fernando Netto que tinha implantado a escabrosa ordem de exigir o título de eleitor do cidadão para atendimento na rede municipal de saúde.
O promotor de Justiça Cláudio Braga Lima denunciou o caso. O MP deixou claro que
Fernando e Adib não devem mais impor aos usuários da saúde que o título de eleitor seja critério de acesso a ações e serviços, tanto para o fornecimento de medicamentos do componente básico da assistência farmacêutico, quanto para atendimento na rede. Esse atendimento inclui a atenção básica, a pré-hospitalar, inclusive urgência e emergência ou a hospitalar, com internações e cirurgias, sob pena de multa de R$ 10 mil por exigência indevida, a ser aplicada sobre o município e ao titular da pasta. O promotor considera tal ato como ilegal.